Caminhando e pedalando com civilidade

O Parque Ibirapuera é um espaço democraticamente ocupado por pessoas que buscam diversos tipos de atividade, tais como passear, caminhar, pedalar, correr e descansar. Quando tentamos colocar todas essas práticas diferentes no mesmo lugar, alguns acidentes podem acontecer… mas há um jeito de evitar isso: basta viver com um pouco mais de consideração e civilidade!

Os problemas que surgem quando atividades diferentes dividem o mesmo espaço são reflexo daquilo que acontece também fora dos limites do parque. Em ambos os casos, os desafios da convivência em grupo frequentemente colocam à prova nossa paciência. Ainda mais no ambiente estressante da cidade grande, é comum que pequenos vícios de comportamento acabem deflagrando verdadeiras mini-guerras.

Para harmonizar essa convivência, a iniciativa “Um Convite à Civilidade” busca identificar algumas condutas que podemos mudar para sermos a melhor versão de nós mesmos.

Ciclistas…

Caso em questão: o conflito entre quem caminha e quem se exercita.

A regra de uso das ciclovias do Parque Ibirapuera determina que nos trechos pintados de azul a preferência é do ciclista; já nos trechos pintados de vermelho, a preferência é do pedestre (http://goo.gl/suI20A).

Mas, independentemente de qual seja a regra, todos – pedestres, corredores e ciclistas – podem tomar alguns cuidados para garantir a harmonia e segurança dos frequentadores.

“Cuidado”, nesse caso, expressa não apenas um sentimento abstrato de equilíbrio e inclusão do próximo, mas também uma série de pequenas atitudes práticas.

Enquanto caminhamos ou corremos pelo parque, é importante estarmos constantemente conscientes de que há outras pessoas à nossa volta, fazendo outras atividades, indo em outras direções e outras velocidades. Portanto, se formos mudar de direção – mesmo ao caminhar! – é importante olharmos antes para ver se não estamos prestes a colidir com alguém. Vale também ter um pouco de atenção e consideração nas coisas mais simples – até mesmo ao erguer o braço você pode acabar provocando um acidente, ou pode acabar atrapalhando um atleta se ocupar toda a largura da via ao caminhar em grupo.

… e pedestres

Já ao pedalar é importante saber que há trechos em que a preferência é do pedestre. Mesmo fora destes trechos é fundamental lembrar que as pessoas podem estar distraídas! Precisamos prestar especial atenção a crianças, ainda mais vulneráveis. Ir mais devagar também é prudente: um parque lotado talvez não seja o melhor lugar para treinos em alta velocidade!

Caminhando, correndo, pedalando… o segredo para podermos aproveitar o parque com alegria, harmonia e segurança é lembrarmos dos outros; a chave é nos comportarmos com civilidade, preservando o espaço alheio com o mesmo vigor com que preservamos o nosso próprio; a solução é trazermos para o parque, além da bike, do tênis e da lancheira, um monte de gentileza e compaixão. Civilidade é, também, tomar consciência do outro.

Topa viver de um jeito mais civilizado? Então tá convidado! Saiba mais em “Um Convite à Civilidade”.

Posts relacionados

Parques, garrafas plásticas, reciclagem…

A opinião dos frequentadores do Parque Ibirapuera

“Ah, mas não tinha lixeira por perto…”